Fotografia

Lentes grande angular versus teleobjetiva para belas fotografias de paisagens


TÊNIS WILLCK 1

Um palpite fácil ao fotografar paisagens é usar uma lente grande angular. Afinal, a maioria dos fotógrafos de paisagens prefere lentes grande-angulares por uma razão: elas naturalmente oferecem a visão mais ampla e permitem que você obtenha a paisagem inteira no quadro, do primeiro plano ao horizonte.

As lentes grande angular também têm a maior profundidade de campo, de modo que toda a paisagem está em foco. E sua distorção amplia os objetos em primeiro plano, permitindo mostrar detalhes em primeiro plano. A mesma distorção também enfatiza as linhas principais, realçando suas composições e dando uma sensação mais dinâmica à sua imagem. Mas quando você escolhe o vidro grande angular por padrão, você perde muitas oportunidades ocultas que as lentes telefoto oferecem.

Campo de visão: o todo e suas partes

Esta é a diferença mais básica entre os dois tipos de lentes:

As lentes amplas oferecem uma visão ampla; As lentes telefoto fornecem uma visão estreita.

E embora as paisagens fiquem lindas em sua totalidade, é um bom hábito parar e procurar os detalhes. Esses detalhes são belos elementos de paisagem que podem ser reduzidos ou ignorados na propagação de uma imagem grande angular. É aqui que entra a sua lente telefoto. Seu estreito campo de visão é perfeito para recortar elementos extras e focar em pequenas e belas cenas, como a curva de uma montanha, um reflexo em um lago distante ou a silhueta de uma árvore.

WILLCK 2 YOSEMITE

Nas duas imagens acima, você pode ver isso em ação. Ambos foram tirados de Olmstead Point no Parque Nacional de Yosemite, um com uma lente grande angular e o outro com uma telefoto.

Na primeira imagem, a lente grande angular mostra a paisagem total. Inclui os dois lados do vale, as texturas próximas das rochas e o pico distante do Half Dome. Na segunda imagem, a teleobjetiva leva o olhar até as montanhas, mostrando suas formas e os detalhes da geologia.

Outras imagens (abaixo) mostram esse efeito de forma ainda mais dramática. A primeira imagem não é apenas uma imagem grande angular, mas também uma foto aérea, tirada de um pequeno avião sobre o Delta do Okavango, em Botswana. Deste ponto de vista, todos os elementos individuais da paisagem tornam-se incrivelmente pequenos e os seus olhos prestam mais atenção à sua disposição do que às suas formas individuais. Na segunda imagem, também da área do Okavango, mas desta vez no solo, uma lente telefoto é usada para chamar a atenção para as belas curvas de uma única acácia.

WILLCK 3 OKAVANGO de largura
WILLCK 4 OKAVANGO tele

Profundidade de campo: foque o olho

A segunda grande diferença entre lentes grande-angulares e teleobjetivas é o tamanho inato de sua profundidade de campo.

Simplificando, quanto maior a distância focal, mais estreita é a área de foco. Na prática, isso significa que, ao fotografar ao longe, é muito mais fácil focar em tudo, desde a grama a seus pés até a crista no horizonte. Isso é especialmente verdadeiro quando você tenta usar as aberturas mais nítidas em sua lente (o chamado ponto doce)

No entanto, uma profundidade de campo mais estreita é muito melhor para isolar o assunto do fundo, e é aqui que entra a telefoto. Tente fazer um close-up com uma grande abertura, usando a paisagem como um belo fundo bokeh cremoso.

WILLCK 5 FLOORS
WILLCK 6 DENVER

As duas imagens acima são exemplos perfeitos desse efeito. Na primeira imagem, a lente grande angular foca em toda a paisagem, desde os girassóis em primeiro plano até as montanhas distantes.

Na segunda imagem, fotografar com uma lente telefoto desfoca as flores e as montanhas ao fundo, tornando-as um belo fundo suave para o girassol principal.

Compressão de profundidade: brincar com o tamanho

Não é nenhum segredo que as lentes grande-angulares expandem a sensação de profundidade em uma imagem, ampliando os elementos no primeiro plano e reduzindo os atrás. Isso é ótimo para criar imagens que fazem você sentir que pode entrar direto no quadro.

Por outro lado, você corre o risco de fazer com que as montanhas imponentes e impressionantes à distância pareçam colinas insignificantes. As lentes telefoto, por outro lado, comprimem a profundidade, fazendo com que os objetos próximos e distantes pareçam ter tamanhos mais semelhantes. Uma sensação de profundidade comprimida é ideal para abstrair uma cena e realçar suas qualidades gráficas. Copas coloridas de florestas, cumes de montanhas em camadas e dunas de areia curvas são ótimos temas para esse tipo de fotografia.

WILLCK 7 MICA

Na imagem à esquerda acima, observe como a lente grande angular exagera o tamanho das flores no primeiro plano em detrimento das montanhas no fundo. As montanhas são tão altas que estão envoltas em nuvens, mas a lente impede que pareçam tão grandes.

Puxe uma lente telefoto e você poderá ampliar o zoom na montanha, mostrando o contraste entre o contorno íngreme do pico e a forma suave e fina da nuvem (direita).

WILLCK 8 BIGBEND de largura
Telefone WILLCK 9 BIGBEND

Aqui estão mais duas imagens, ambas tiradas no mesmo local no Parque Nacional de Big Bend, que mostram esse efeito. Na primeira imagem, você pode ver que a lente grande angular aumenta o tamanho das plantas e rochas no primeiro plano, enquanto diminui as grandes montanhas do deserto ao fundo. Na segunda imagem, uma lente teleobjetiva aplaina a profundidade das muitas cristas do deserto, chamando a atenção para seus padrões gráficos e contornos.

Resumo: espaço versus objeto

Você tem dificuldade em lembrar todos esses detalhes? Esta é uma maneira simples de resumir com uma ideia simples:

As lentes grande-angulares mostram o espaço, as fotos mostram os objetos.

O grande campo de visão da lente grande angular, facilidade de foco suave e recursos de distorção de profundidade são ótimos para exibir paisagens grandes e expansivas. No entanto, desviam o foco dos elementos individuais da paisagem em favor de mostrar o todo. As lentes telefoto são naturalmente o oposto – elas são ótimas para mostrar o tamanho, a forma e a complexidade dos detalhes de elementos individuais na paisagem. Mas seu campo de visão estreito, pequena profundidade de campo e qualidades de compressão de profundidade tornam difícil capturar a paisagem como um todo.

WILLCK 10 WILLOW de largura

Você pode analisar este par de imagens para ver exatamente como todas essas técnicas funcionam juntas. Começando com a foto acima, você pode ver como a lente grande angular encaixa toda a paisagem no enquadramento, desde rochas próximas a picos e céus distantes. Devido à grande profundidade de campo da lente, toda a paisagem também tem um foco aceitável. A distorção da profundidade da lente também é evidente: as pedras no primeiro plano parecem muito grandes, criando uma agradável sensação de profundidade e enfatizando as linhas principais que chamam a atenção das bordas da moldura para o centro. Em geral, você tem uma boa ideia do espaço e da largura do vale.

WILLCK 11 WILLOW tele

Esta imagem foi tirada no mesmo local, mas usando uma lente telefoto captura de uma maneira muito diferente. A foto destaca um único elemento da paisagem; Olhe de perto e você pode ver este pico na imagem acima no canto superior direito. Ele permite que o espectador aprecie seus detalhes sutis.

Devido à estreita profundidade de campo da lente teleobjetiva, o céu está ligeiramente fora de foco, deixando os detalhes do pico perfeitamente nítidos. E acima de tudo, a sensação de profundidade comprimida aplaina a imagem, mostrando o maciço rochoso da montanha e chamando a atenção para a bela curva da serra. Em geral, você tem uma ótima sensação da montanha como um objeto sólido, em vez de um espaço confinado.

Quando atirar o quê?

A melhor maneira de saber quais lentes usar é sair, olhar e pensar. Qual parte da paisagem o atrai mais? A amplitude da paisagem lhe confere personalidade? Existem detalhes impressionantes rodeados por elementos menos fotogênicos? Você está filmando espaços ou objetos?

WILLCK 12 ZODIAC

Dito isso, minha estratégia pessoal é simplesmente fotografar os dois, porque quase todas as paisagens são bonitas o suficiente para que um tipo de lente não seja suficiente para alcançar todas elas.


Loading...

fbq('init', '1420262834888800') fbq('track', 'PageView')



Source link

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar